Hipertensão Arterial

Posted

3597-Minds4Health-Datas-Comemorativas-Hipertensão_Blog Hipertensão ArterialSegundo a SBH, “a Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é ter a pressão arterial, sistematicamente, igual ou maior que 14 por 9. A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem1.

A prevalência dessa doença na população, de acordo com a PNS – Pesquisa Nacional de Saúde realizada em 2013 (a próxima PNS será realizada em 2018), “A proporção de indivíduos de 18 anos ou mais que referem diagnóstico de hipertensão arterial no Brasil foi de 21,4% em 2013”2, variando de cerca de 3% na faixa etária mais baixa até 55% na faixa etária mais alta, correspondendo assim a mais de 30 milhões de pessoas na época.

De acordo também com a SBH, 50% das pessoas que sofrem de hipertensão não sabem que tem a doença3. Visto que o levantamento feito pela Pesquisa Nacional de Saúde questiona o conhecimento dos respondentes sobre diagnósticos feitos por um médico, a prevalência estimada de pessoas hipertensas subiria, então, para cerca de 64 milhões de brasileiros, uma vez que a projeção da população brasileira para o dia 26/04/18 está na casa dos 209 milhões4, com cerca de 150 milhões com 18 anos ou mais.

  • População estimada em 26/04/2018 = 209 milhões
  • População acima de 18 anos = 150 milhões
  • População diagnosticada com hipertensão = 32 milhões
  • Estimativa da população com hipertensão, mas não diagnosticada = 32 milhões
  • Total estimado de pessoas hipertensas = 64 milhões

Ainda segundo a Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, apenas 7 em cada 10 pessoas com hipertensão diagnosticada afirmaram ter recebido assistência médica nos 12 meses anteriores à pesquisa (70% deles atendidos pelo serviço público), sinalizando para uma proporção de 30% de pacientes diagnosticados, mas potencialmente não tratados.

Além das proporções expressivas de não diagnosticados e de diagnosticados mas não (ou pobremente) tratados, ainda há desconhecimento do paciente em relação a vários aspectos da doença e resistência às necessárias mudanças nos hábitos, o que pode levar a ainda maior morbimortalidade.

Levantamos dois artigos que abordam o tema:

Estudo conduzido em Joinville, por Nascimento Lima e outros5 afirma que o “estudo “revelou um baixo nível de conhecimento sobre os fatores de risco associados à ocorrência de HAS, independente do grupo de risco CV”.

Outro, conduzido por Ribas e Guimarães6 conclui que “muitos não sabem definir hipertensão, mas apesar de não modificarem seus hábitos, sabem das consequências da doença e como controla-la. Não se adaptam a alteração dos hábitos argumentando falta de tempo e estímulo, ou evidência de seu real benefício”. Acrescenta ainda, entre outros dados, que “mais de 40% dos pacientes esquece de tomar suas medicações algumas ou várias vezes”, e que “52% não praticam atividades físicas”.

Os números e evidências envolvendo a hipertensão arterial no Brasil sugerem que, além da oferta de (e acesso a) bons medicamentos anti-hipertensivos, o componente educacional constitui um pilar de importância extrema e que, certamente, não pode deixar de compor a agenda daqueles que buscam, a que título for, a minimização das consequências desse quadro.

  1. Sociedade Brasileira de Hipertensão, O que é Hiertensão . Disponível em: <http://www.sbh.org.br/geral/oque-e-hipertensao.asp>. Acesso em: 24 de Abril de 2018.
  2. IBGE – Pesquisa nacional de saúde 2013, Percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas – Rio de Janeiro: IBGE / FIOCRUZ, 2014 – ISBN 978-85-240-4334-5.
  3. Sociedade Brasileira de Hipertensão, 50% dos hipertensos desconhecem que tem a doença. Disponível em em: <http://www.sbh.org.br/geral/releases.asp?id=464>. Acesso em: 24 de Abril de 2018.
  4. IBGE, Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/>. Acesso em: 24 de Abril de 2018.
  5. Lima, Helbert do Nascimento; Gonçalves, Anderson Ricardo Roman; Silva, Amanda Lewandowski da; Oliva, Aline Fachin; Miura, Thais Yuri; Martins, Lisiane. O Entendimento do Paciente sobre Hipertensão Arterial: uma Análise com Base no Risco Cardiovascular. Disponível em: <http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=775240&indexSearch=ID>. Acesso em 24 de Abril de 2018.
  6. Revista Brasileira de Medicina da Família e Comunidade. Avaliação da compreensão dos pacientes hipertensos a respeito da hipertensão arterial e seu tratamento versus controle pressórico. Disponível em: <https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/47>. Acesso em 24 de Abril de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.